Não corte os bigodes dos gatos

20 de Abril de 2018
Os bigodes do gato são responsáveis entre outras utilidades, por mostrar a eles se estão longe ou perto de um objetivo, como por exemplo, os potes de ração e água. Acabam funcionando como uma espécie de tato à distância. Por isso, se forem cortados, podem fazer com que o gato perca um pouco a noção de proximidade dos objetos.
 
As vibrissas (o nome oficial dos bigodes), se cortadas, podem também influir no equilíbrio do gato, prejudicando sua capacidade de saltar ou fugir de um predador – e um predador pode ser, por exemplo, o seu carro entrando na garagem. Sem essa noção, ele pode ser atropelado. Além disso, também dificulta andar no escuro, pois não contará com os bigodes para saber se está esbarrando em algo.
 
Se for necessário aparar as vibrissas para alguma cirurgia ou algo do gênero, o corte deverá ser realizado por um profissional, ou seja, um veterinário que sabe dizer o quanto é necessário cortar. Mas não se preocupe, os bigodes voltam a crescer como qualquer outro pelo.